Surfando na Crise – Modelo Disruptivo Contexto

 em Arquivos

O professor da Universidade de Harvard, Clayton Christensen ,  renomado guru da inovação , afirma que para prosperar em momentos de crises locais e globais, não basta reduzir custos e aumentar a produtividade, é preciso, fundamentalmente, “Atuar Disruptivamente”.  

Conforme observado por Christensen ,  em seu livro O Dilema do Inovador, o Modelo Disruptivo altera radicalmente os mercados porque solapa as empresas conservadoras, na medida em que  suas estratégias são efetivamente clássicas e adaptadas a um perfil de Clientes já conquistados. 

Em última análise, Christensen  afirma que precisamos sair do “status quo” , através da “troca de lentes”, criando novos mercados e agregando valor ao negócio.  Para tanto,  é necessário estabelecer Foco do Cliente, atendendo as suas demandas com diferenças bastante significativas, utilizando uma estratégia de negócio completamente diferente e nova.

Fica a Dica!!!

Vivemos  hoje uma inédita, inusitada e rara Revolução Cognitiva que nos leva a uma explosão de inovação  disruptiva em todo o mundo e  em todas as áreas de negócio. Há um legado repetidor e conservador  das organizações que cresceram e foram criadas em um movimento de contração  cognitiva. O problema é que o cenário mudou e o que era algo que “dava certo”, repetir e mudar pouco para se manter competitivo, já não funciona mais. O que se quer é reavaliar o modelo de negócio  e não maquiar ,o que não faz mais sentido no cenário disruptivo. É preciso portanto,  fugir da rotina, do convencional, do óbvio. Em determinadas ocasiões a imaginação e ousadia  devem ser superior a razão. É começar do zero e reinventar.

 

O que isso tem haver conosco ? é simples assim… Se uma estratégia Disruptiva se impõe no mercado, ela provoca mudanças em diversas dimensões: gestão de negócio, cultura, estrutura das empresas, perfil de clientes e modelo de profissional.  Diante disso, o Líder Disruptivo deve pensar sempre estrategicamente e desenvolver equipes capacitadas (técnica e comportamentalmente)  e prontas para antever  as oportunidades e contribuir dentro do cenário disruptivo, tirando proveito que o negócio pode obter da forma mais rápida  possível.

Assim, o  “ousado consciente” tende a ser uma característica do Líder Disruptivo mais adequada para esse cenário que se aproxima. O futuro está aí  e é incerto. Podemos temê-lo ou nos preparar, disruptivamente,  para enfrentá-lo. Está será a escolha de cada um.

Alinhada a esse contexto, a Factor  desenvolve processos e  programas para desenvolvimento e treinamento que qualificam as lideranças nesse modelo Disruptivo.

 

Quer saber mais? Acesse http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1100/noticias/o-dilema-da-eficiência  ou dê um click em nosso Portifólio: Soluções Educacionais: Lidando com Inovação e Mudanças / Processo  Desenvolvimento de Lideranças –  PDL / Ferramentas Factor: Modelos Mentais

Referências

  • Revista Exame – edição 1100
  • Clayton ChristensenO Dilema do Inovador
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Fale Conosco

Nós não estamos por perto agora. Mas você pode nos enviar um e-mail e nós vamos voltar para você, o mais breve possível.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar